segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Uma vez vi matarem um cara...

Uma vez vi uma cara morrer na minha frente
Seus olhos foram ficando nublados o que existia dentro dele foi indo embora
O sangue derramando no chão , vermelho vivo, talvez morto!?
Não esqueço dos olhos ficando opacos com rapidez
Não era como nas pessoas que o tempo se encarrega de levar o brilho
Ou com aqueles que sofrem de amor e se esquecem de viver
Era rápido .....
Sem uma palavra ele foi indo ....
Essa imagem povoa meu subconsciente ....
Tento entender o momento exato em que a vida deixa de ser vida e passa a ser casca...
Imagino as pessoas que naquela hora pensam nele sorriem com uma piada dita ou ficam com raiva por algo que lhes foi feito...
A vida fugindo pelos olhos e eu ali estático....
Uma vez vi matarem um cara....
Uma vez eu me matei
Uma vez alguém me matou ...

zanellizen

2 Comments:

Suzirley said...

"o poema me tocou profundamente!!!Penso,imagino sempre porque quando morremos os olhos perde todo seu espelho..imagino como a vida é tão fragil, questão de segundos não somos mais nada...uma hora vida uma hora morte!!Não sabemos ate onde seremos vida...porque não pode ser um lei so?FILHOS ENTERRAM PAIS E SO DEPOIS DE BEM VELHINHOS E ASSIM FECHAMOS OS OLHOS E QUANDO VEMOS NÃO SOMOS MAIS CARNE!!!Coisas da vida...

A Dama Luz said...

Olha, o texto que eu mais gostei foi esse. Sinceramente manim..Ficou uma coisa escandalosa de tão linda!

Muito sinéstesico..dá realmente p sentir as imagens desse poema...

LIndo lindo